Aumento da testosterona com reposição hormonal

Todos os homens têm um déficit parcial de testosterona por cerca de um terço da vida, que se manifesta a partir dos 30 anos de idade. As consequências, como diminuição da libido, depósitos desagradáveis ​​de gordura localizada no corpo e perda de energia, são problemáticas para a maioria dos homens.

Veja a seguir como o aumento da testosterona com terapia de reposição de testosterona pode melhorar sua vida.

Traga seus hormônios de volta à vida

Além de métodos naturais para aumentar seus níveis de testosterona a terapia de reposição de testosterona vem como uma excelente opção para resolver um deficit mais sério de testosterona.

É importante que todos os homens antes de uma terapia de reposição hormonal passe por um especialista para que sejam examinados. O tratamento inadequado pode ter consequências desagradáveis ​​a graves.

A terapia de reposição hormonal é útil apenas se houver baixos níveis de testosterona e outras causas dessa deficiência (por exemplo, câncer de próstata).

Não deixe de consultar um especialista em saúde masculino experiente que fará um diagnóstico completo do seu status hormonal.

Métodos para terapia de reposição de testosterona

Para a terapia de reposição de testosterona, existem várias opções disponíveis hoje. A testosterona e outros hormônios podem ser administrados por injeções, cápsulas, depósitos, cremes e géis.

# Gel

Um método relativamente novo para a administração de testosterona é a administração na forma de um gel. O gel é aplicado uma vez ao dia na área dos ombros, braços, parte interna das coxas, costas das panturrilhas ou no abdomên.

Seca dentro de alguns minutos enquanto a pele absorve a testosterona. Ao mesmo tempo, a pele funciona como um reservatório para os hormônios, que absorve lentamente e a testosterona obtêm acesso à corrente sanguínea ao longo do tempo.

Um alternativa de testosterona em gel é o Xtragel, um potente repositor hormonal natural (Leia a bula antes de usar).

# Injeções (ação curta)

Aqui a testosterona é administrada por um especialista na forma de uma injeção. Uma desvantagem dessa forma de substituição hormonal é que, após uma injeção, os níveis de testosterona aumentam muito e depois caem novamente até a próxima injeção, que é feita a cada 2-3 semanas.

Este banho alternado hormonal leva a efeitos indesejáveis ​​e não corresponde ao ritmo diário fisiológico natural. Por outro lado, com as injeções de ação prolongada (ver abaixo) de undecanoato de testosterona, a concentração de testosterona no sangue pode ser mantida dentro da faixa normal por até 12 a 16 semanas.

# Injeções (ação prolongada)

Além dos géis, as injeções de ação prolongada são a maneira mais sensata de administrar uma boa dose de testosterona. Isso pode durar de 12 a 16 semanas um tempo consistente. As injeções de ação prolongada são popularmente conhecidas como injeções de 3 meses.

Importante: Certifique-se de que um especialista administre essas injeções a cada 3 meses. Ao escolher seu especialista, verifique se ele está familiarizado com a administração de undecanoato de testosterona, porque os intervalos de injeção devem ser calculados individualmente.

# Adesivos

Estão disponíveis emplastros aplicado diretamente na pele das costas, braços, coxas ou abdômen, garantem uma liberação constante do hormônio, com 60% da dose administrada nas primeiras 12 horas e 40% nas 12 horas seguintes. Os efeitos colaterais mais graves são irritações da pele. Os adesivos são difíceis de encontrar, devido aos fortes efeitos colaterais e é bem provável que você os encontre através apenas em sites internacional.

# Cápsulas

As cápsulas são tomadas duas a três vezes ao dia, dependendo da gravidade dos sintomas, para atingir e manter um nível constante de testosterona. Uma desvantagem é que a testosterona, que é absorvida pelo trato gastrointestinal, é decomposta muito rapidamente no fígado, de modo que a eficácia deve ser classificada como questionável.

A testosterona contra a depressão

Mais e mais pessoas sofrem de depressão ou humor depressivo, especialmente nas grandes cidades!

A testosterona é chamado de hormônio esteroide neuroativo, pois pode afetar positivamente o desejo ou o humor.

Além disso, acredita-se agora que a testosterona tem um impacto na neuroplasticidade (ou plasticidade neuronal).

Finalmente, a testosterona também assume uma função protetora para os neurônios em nosso cérebro. Estas são pequenas células que são responsáveis ​​por várias funções no sistema nervoso.

A conclusão é que a testosterona pode aliviar a depressão ou o humor depressivo. Mas não é tão simples assim!

Estudos científicos mostraram que certos homens com sintomas depressivos não se beneficiam de uma terapia de substituição hormonal com testosterona. Portanto, a testosterona não é uma “arma milagrosa” contra a depressão.

Author:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *